quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

VaLeU!!!!


O SorRiso misturado com a incerteza
Sorrir ou choraR?
Valeu a certeza do Amor.

O abraço terno
Aquele apertado
Também o dado na
Distância. Valeu!

A palavra Amiga
Outras reflexivas
As caladas
As reticentes.
Valeu cada Palavra Tua!

A promessa
O Pedido
A espera
A espera
O Pedido
A Promessa! Valeu!

A noite
A Manhã
A Tarde
O Atalho
Outro dia, Valeu!

O Calor o Sol
O Frio a chuva
E a neblina e
Você, ora claro
ora quente, ora
Frio, ora...ora
Valeu!

Ver a estrela cadente
Perto do Mar
Pedras brancas e Pretas
Olhar na imensidão
O medo de (a)mAr.

Valeu a Paz!
Valeu a Busca!
Valeu Amar!
Valeu Amor!

Valeu o Ano que nos levou
Que por nos passou ou Nós
Que por ele passamos, Valeu!

Valeu Você Estar
Tão presente
Como um Presente. Valeu!

...VAleU...

(...digo que valeu! e valerá Sempre, Viver cada instante Intensamente e Desejo que Todos possam fazer 2011 Valer Viver! Paz e Luz! Obrigada!)

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Algo assim...


Há homens que Amam toda Vida
Outros atravessam o Oceano
Do Tempo para Amar
Há Homens que Amam
Um instante Apenas
Com a Intensidade de
Uma Eternidade!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

E lá fora Chove, Amor!


Faz silêncio nessa escuridão a Noite chove lá fora e dentro do peito os raios riscam, flamejam meus pensamentos, reflexos do Tempo que por nós Passou como tempestade de Verão.

Nessa noite meu corpo sente o frio da Solidão! Releio mensagens codificadas lembrando momentos fugazes, como raios clareando a escuridão, vêm à mente arrepios de tantas recordações.

Permaneço aqui, abraçada às memórias. A alma se desdobra e voa, nos encontramos em Nosso silêncio, na eternidade vazia do instante Presente. Percorremos caminhos antigos, nos tocamos nesses espaços de Sonhos.

A Vida recomeça lentamente nesse Reencontro. Nossa respiração compassada acaricia a pele em ondas de prazer, nossos lábios buscam no beijo o alimento que nos sustenta, nossas mãos se desprendem das amarras e percorrem a face em desenhos de Amor.

Nessa atmosfera deixamos fragrâncias almiscaradas do prazer que sonhamos.

E lá fora Chove, Amor!

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Presença


Despida dos medos
Na penumbra
Recebo em meu corpo os raios da Lua
Cascata de Luar caindo
Envolvendo meu corpo
Como um manto de estrelas

Uma névoa suave vem ao encontro
Envolve meus Pensamentos
Meu corpo
Minha alma

Como uma mortalha fria e úmida
Beijando meu corpo
Suas gotas escorrem por mim
Misturam-se com a Luz
Dos meus desejos

Sozinha
Sinto a mistura das Sensações
Tua presença
Teu Perfume

O coração desejando
Tudo aquilo

Passamos!