quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

FELIZ ANO NOVO!!!


O Tempo nos dá todo ano caixinhas de Surpresas, São nossos dias.

Dentro alegrias Sonhos coloridos,embrulhados em amor.

Hoje quero Apenas agradecer aos amigos as Palavras de Carinho as Entrelinhas desenhando alegrias, desejos, saudades, ficçao ou Realidade.

Agradeço tudo até o que nao foi escrito. Agradeço o aconchego distante,o Ombro amigo ou o Abraço Das Palavras ou o alento dos nossos versos. Agradeço as amizades Novas. Agradeço os beijos coloridos.
Agradeço soltar os meus dedos quando precisei sustentar a loucura dos meus dias.


Obrigada!

Desejo um Ano Novo de infinitas Realizações, e que todas as caixinhas sejam de luz, alegria e paz, Harmonia, Amor, Risos, Saúde, Amizades, E que em vossas familias reine o Entendimento e o alimento mais precioso seja a


Palavra Deus. Obrigada!

FELIZ 2010!

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Lembrando Sonhos de Amor!

No silêncio ouço o soluço da escuridão
ruído de saudades
marcada na promessa de Ficar!
 ouvindo no silêncio
no soluço das
Saudades!
A escuridão...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

superação



...de cada palavra no coração
o ritmo e a vibração delineavam
lembranças..


Alegrias

Alegorias?

Minutos infinitos

Toda Vez que
Existo
Você!

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Amar Amor



Gostaria saber explicar
 E dissertar Laudas
Sobre amor
Mas nao sei ...


Descobri  a geometria do amor
Côncavo e Convexo

 Descobri  a física do amor
Calor e Frio

Encaixe  celeste dos Corpos
Na escuridão dos dias

Descobri que amor é geografia
Curvas
Atalhos
Altos e
Baixos

 Descobri que o amor é
Presença
E
Espera

Descobri que na Solidão
Amor é superação.



Amor é mais que cem palavras
Roubadas dos poetas
Ou todas as razões para amar de
de apenas um poeta

O amor Poeta
Não é Teoria



Por fim  descobri
Um mosaico colorido de emoções
Com você as peças são coladas
Todos os dias.




sábado, 5 de dezembro de 2009

Fragmentos



Há no tempo um tempo
Entre o nosso tempo
Que encontramos tempo
Pra falar do tempo
Tempo de pausa


Viajando no tempo
Buscamos refúgio
No encanto do tempo
Nas vozes dos anjos
Na prece do canto.

Tempo de partir
De ir pra não voltar
Seguir na melodia
Do próximo dia.




MOVIMENTO DO TEMPO.

Compassado
Inquietante
Teu Sabor ficou
Marcado Nas Horas


Teu amor ficou
Circulando em meus
Sonhos

Despertando
Lembranças.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Centelhas de carinho


Mar de palavras
Ondas de sentimentos
Espuma de amor
Na areia do Tempo.
No horizonte argênteo
Brilham raios quando
A noite beija a Lua
Nua despida dos medos.

Viajante desse Tempo
Colhes no jardim secreto
Da noite o brilho das estrelas
Os raios da lua
De centelhas de carinho
Ilumina meus dias de
Solidão.

te diria que sonho com tantas palavras...




As Palavras
Voam
 nos Espaços

Feitas de Sonhos
palavras
Voam...

sábado, 28 de novembro de 2009

Luz anunciada



A Luz que me envolve
Acende na penumbra
O Sol do TEU Olhar

Aquece-me com
Suspiros cadenciados
A / tre / vi / dos /

Leve-me com TEUs
Raios de desejos
Febris
Ex / ta / Si / a / dos

Lascivos
Segredos
Nós Lábios

Prazer anunciado
Oscilantes
Lampejos
do seu
Olhar.

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

olhares


Olhar os sinais
nas paredes dos dias
ensaiar um canto
desenhar os desejos
do teu Olhar
de leve na Pele.
A essência
dos teus lábios
de leve nos meus,
Os segredos
essenciais
Acordados na
penumbra
entre nós.

Entardecer avermelhado
Maré dos sentidos
No céu o Véu dos sonhos
As estrelas
a Solidão da Canção
o silêncio em Nós.

O olhar escondia o Voo
Na mente era para sempre
O voo nas horas pretéritas

A luz do teu olhar
dissipava as trevas
diluia os medos
A luz do teu
Olhar.

Depois meus olhos
procuravam qualquer sinal
daquela tarde avermelhada
tateando na almofada
qualquer sinal que fosse
da tua existência

 na retina
Cintila lembranças
do brilho doce do teu
carinho.

brilha algo em mim
toda vez que
Sinto Você!



terça-feira, 24 de novembro de 2009

...e se




Naquela manhã a brisa acordava um dia de curiosidade, soprando por entre os prédios o vento dos aromas florais de verão.
Na tela dos sentimentos abstratos, cores descobertas a pouco tingiam a manhã, com as cores vivas dos desejos despertados.
Letras acariciadas na madrugada, num frisson de gozo na solidão.

Aquela manhã trazia os minutos mais próximos dos desejos [in] confessados. Sedução dos momentos insones nas palavras ao vento com aroma de perdição.

O sol alucinado no calor dos pensamentos deixou a manhã de brisa suave envolta nas horas do passado.
E no calor da tarde o sol escaldava a razão
Em cada centímetro a pele recordava daquele sonho

Abstraído na tela da solidão.

No corredor do museu ela observava as telas com suas nuances de paisagens bucólicas, ruas de copas verdes e casarios de Jardins Secretos, néctar de flores vermelhas, céu de vermelho verão, a tela tinha cheiro de cores de paixão.

Ele aproximou-se com passos lentos e olhar de brilho intenso olhando a mesma tela. Ficaram algum tempo absortos na paisagem, sem perceber a presença do outro.

_ Você gostou? [o tom harmonioso e colorido da voz delatava seu desejo]

_ Gosto das cores lembram um dia de verão... [lembravam instantes, antes, depois, eternamente]

_ Você quer conhecer esse lugar?

Ambos sabiam que aquelas imagens tão impregnadas de realidade, eram apenas uma tela bucólica com desejos secretos ao olhar de cada um que ali ficasse um tempo absorto pela beleza sob o véu da ilusão.


Ficaram um bom tempo ali parados, talvez o lugar fosse tão perto, tão longe, ou nem existisse.

Saíram pelos corredores da vida levando aquela imagem cheia de segredos e ficaram marcados para sempre com aquelas lembranças.

Souberam então que um breve instante de Paz
Era suficiente para preencher o Universo
De Amor.


segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Daquilo que passa



Tua Presença é constante
Nessa Ausência.

Delirante constância
Em mim.

Teu silêncio
Tem gosto de segredo!

E teus desejos Guardam
sabores doces
Na lembrança.


sábado, 21 de novembro de 2009

Crepúsculo



O vento frio acariciou a aurora, percorreu de leve as horas
O entardecer, suave crepúsculo que recolhe o dia.
Penumbra abandonada nos segundos.

Não é dia, nem é noite, apenas paixão.
As Estrelas em balé no palco dos sonhos
Presenteiam lembranças de outro tempo.

Acolhidas em nossas meditações
Hora mágica em que é todo meu pensamento
Cada átomo do meu sentir.

Em Nós essa energia que flui vida,
Como pedras antigas que trazem fervendo em si
O passar flamejante do tempo.

Luzes dançam a nossa volta
Em suaves chamas que de nós gerou
Nesse Altar somos preces de Amor
E Paixão!

Crepúsculo entregue nos braços
De outra Noite
Brilhando Você em meu Horizonte!
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


ASSIM...


Vem a Noite abraçar saudades
Das lembranças de uma manhã
Não sei o que restou em mim.

O que deixou?

Vem a Noite sem dormir
Tantas horas sem sonhar
Noites assim
Acordadas em mim.

Promessas e palavras na
distancia das estrelas
Nas Noites sem dormir
Um sonho despertado.

Sem dormir a Noite vai
Eu peço que fique em mim
O sorriso dos teus beijos
O silêncio dos teus lábios!
















segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Desejo Azul


Encontro no Azul intenso teu olhar cor de mar
Olhar que despe meus desejos dos teus beijos
Sou nesse oásis de pensamentos,
Corpo de areia branca a te esperar.

No suave Azul do silencio
Tuas ondas meu corpo percorre
Como beijo na orla de Vênus
Espuma branca
Língua morna de
Anseios.

Hálito morno nas manhãs
Sopram cantos de gaivotas
Raio de Sol nas tardes
Penetram brilhantes fios
De prazer.

Fim do dia
movimentos
De ondas ao relento
Vai e vem dos delírios
Esperando o Azul da Noite.

Ondas azuis do Teu olhar
Meu corpo de areia branca
Com teus dedos de orgia
Suaves vão penetrar.

A Noite promete
Sonhos de sempre
Te Amar!

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Olhar no Horizonte



Da janela da existência contemplo a vida que passa. Céu de azul prateado,
Noite de vento solidão, sopram o medo das horas
Nem sei se você passa da janela da sua existência olhando o Tempo que passa
Ou se passa o tempo olhando o tempo que Passa.

Passamos!


quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Pretexto



Esperei como nunca a chuva, tinha urgência das águas.
Precisava de um pretexto:
Deixar junto às gotas da chuva
Rolar as lágrimas livres pela face.
Como os pingos escorrem suaves no caule verde
Queria que a chuva levasse
Lavasse os sentimentos tão verdes
Enganei-me com o Tempo
Meu olhar se perdeu no Horizonte
Esperei que chovesse
Não choveu,
Apenas dos meus
Olhos
Choveu
Você!

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Existe um grito do que passou
Em cada pedaço do que sou
O tempo do silencio fragmentou
todos meus gritos
Em mil pedaços
Som que não some

Apenas consome!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Antes que o amanhã chegue.



Entre os cacos sobre o muro
Eu vejo a beleza do pôr-do-sol
Sobre os cacos fragmentados
Do Nosso muro
Vejo a beleza da Lua cheia
Bailando entre nuvens
Ouço o brilho da Via-láctea
Porque Quero ver Beleza
Antes que o amanhã chegue!

[Saulo sensível alma que viu o que Quero antes que a aurora acorde- OBrigada!!]

;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;;




Quero

Quero ver o sol atrás do muro
Quero um refúgio que seja seguro
Uma nuvem branca sem pó, nem
fumaça
Quero um mundo feito sem porta ou
vidraça

Quero uma estrada que leve à verdade
Quero a floresta em lugar da cidade
Uma estrela pura de ar respirável
Quero um lago limpo de água potável
Quero voar de mãos dadas com você
Ganhar o espaço em bolhas de sabão
Escorregar pelas cachoeiras
Pintar o mundo de arco-íris
Quero rodar nas asas do girassol
Fazer cristais com gotas de orvalho
Cobrir de flores campos de aço
Beijar de leve a face da lua.

[Elis Regina]

Ninfa




Ninfa... quantos desejos ardentes
Linda, com pérolas na pele, frementes

Jóias de ouro e prata, rutilantes
Oferece a rosa do seu corpo moreno

Ao quem o quiser, para gozo pleno
Os cabelos castanhos, ondulantes

Esvoaçam, com o sopro do amante
Vinda de longe, a suave luminosidade

Atinge-lhe a rosa da beleza
Então, entrega-se à imensidade.

[Linda Ninfa da Linda Renata]

Renata Maria Parreira Cordeiro -
http://blogrenataeuedai.blogspot.com/

sábado, 31 de outubro de 2009

Vento mensageiro



Vento
Sussurra de leve
em meus lábios
levando um doce
beijo
no corpo dela.

Diz que meus
Pensamentos
Nessa distancia
Estão todos além
Envolve seu corpo
 nesse instante

E diz
Oh! Vento que
Existo somente nela.

(comentários poéticos...)







sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Te Daría



Sim, eu sei
Eu canto de longe
em meu verso
para o seu nome
infinito alcançaram
o universo mais distante
e se eu poderia fazê-lo
Eu daria o céu,
Estrelas e eles
o mais brilhante
Eu faria
como se se tratasse de um diamante.
Você iria silenciar de flores
nas gotas de orvalho
e canção de manhã
aves
na água de nascente
sussurrando.
Eu também faria

(Pessoa bonita!)

(Akhen - Navegando NAS Palabras - http://akhen-navegandonaspalavras.blogspot.com/)

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Seres Fantásticos


Esse canto que me conta um conto que me encanta.
Era nessa era entre ervas e heras, era assim:

Ninfas diáfanas luzindo mil estrelas prateadas
Enfeitando planícies sob a Noite de Luar.

Dançavam azuis borboletas na pele
Enlaçada Dríade em laço de cetim lilás
De olhos vendados nos braços do amado.

Um canto de magia dos lábios do Elfo
Contavam segredos dos desejos contidos
Desnuda em seus braços Ela
Desvendava seu cálido olhar.

Dríade calada no silencio das eras
Ouvia nesse instante o pulsar das palavras
Sussurrando no vento da madrugada lenta
A Voz do Elfo cantava assim:

“...Quero cultuar a ti
Como agora estou
Para integrar-me em mim
Como de verdade eu sou...”

Fez-se magia nesse instante
Um leve suspiro entre os lábios
Acordaram os sonhos adormecidos.

Nas eras entre verdes heras.

Nos Contos a aurora tem as cores
De um fantástico horizonte lilás.

[os versos destacados? Um dia um Conto]

domingo, 25 de outubro de 2009

Secreto


Na Alma um Segredo
No Jardim um Coração

Beijos coloridos
florindo a manhã

Brotam desejos
segredos
secretos
Jardins.

Desvenda todos
os desejos
quando planta
Flores em meu
Ventre!


quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Colóquio de Almas molhadas – Tributo a Chuva





Dia de Chuva.

Hoje o  cinza coloriu o Céu,
As arvores cobertas com os
cantos dos Pássaros.

Ouvia
A chuva escorrer na vidraça
como lágrimas
deslizando pelo rosto
triste.

Era isso chorava o dia
saudades
Sabia apenas que em algum
Lugar o  sol Brilhava.

(Aken)


Tempestade de Amor

Hoje sentada sobre meus  pensamentos
observava ao longe lá  no horizonte
As nuvens em tom de Lilás e Dourado
MEUS Pensamentos
Seguiam o tempo
O ritmo dos  ventos
O cheiro do ar.

Em pouco tempo  ao longe tudo mudou
Riscas azuis- dourado
Preto ou lilás 
OUTRAS tingindo
Mesclando algo como carmim
Céu de fogo,
Como Nuvens ao longe
Revoltas, envoltas em orgias de cores.

Em MEUS Pensamentos
Ao longe  as nuvens faziam
Amor.

Tempestuosas
Envolviam-se
Enroladas
ENTRELAÇADAS
Macias
Beijando
Pouco a pouco
Alegrias
Como em tardes primaveris
A chuva chegou.

Em meus tempestivos
Pensamentos
As  Nuvens
FAZEM
Amor!


(Eu)

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Pensamentos


(comentários que são Poesias de Amigos Lindos, relendo senti uma energia e senti vontade de postar)


Nuances

Os Lilases eram somente azuis,
sem nuances, sem caprichos de entre tons,
Emersos do passeio de um só lápis,
na lauda azul de uma manhã de primavera.

Não sei se houve o completo nascimento
das flores, porém, a brisa que as embalavam
transmudou-se em enérgicas lufadas.

De inesperado vento chuvisqueiro.
E a chuva eis que apagou minha janela,
E a noite se formou velando violetas.



Lua

Gôndola calma
por um rio a deslisar,
Colhe almas de beijos
numa rede fina de luar.

Vejo daqui o pranto,
das coisas e da vida.
O céu deve ter Mágoas
para ficar assim
Tão tristonho chorando...

(Chove nas planícies verdejantes)



Brisa

Foram esvoaçando-se os véus,
Os mantos;
As alegorias desbotaram-se
E rasgaram-se ao vento,
Deixando-lhe nua
E fizeram-me ver tantos nus
Que precisei urgente cobrir-te.
O vácuo desses momentos entorpecera-me,
Adormecendo-me num sono de brisa.

( T@cito -http://xanadupoesias.blogspot.com/)

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

...HoJe...



Acendi na escuridão da ausência uma luz pra me guiar, uma chama, um lampejo uma réstia do que resta, um fogo crepitando, queimando lastimas, lamentos ardem nas labaredas lentamente nesses dias de solidão, o silêncio aos poucos tomou consciência em meu ser. Fixando meus devaneios na fumaça do incenso, segui as formas desenhadas que no ambiente se dissipavam. Suavemente, inalei o perfume da essência fragrância divinal que nos acalma.

Entre uma margem e outra, um dia e outro, ir e vir, estar não estar, sou e não sou. Alianças se formam, cronometrados jogos iniciam, terminam em seu tempo. Nosso caminho de relevo árido massacrando os pés, nuvens ninfas dançando cerúleas nos dias.

Observei a vida na tela do Horizonte, reconheci meus anseios, dilui os meus medos nas gotas do orvalho, amanheci sem ninho, recolhi as penas dá pena de mim, segurei meus gravetos, discordei da razão da roda da vida, distribui meus fragmentos na relva sob a chuva.

Os extremos, margem cá margem lá igual pluma ao sopro dos dias ou frias pedras deixadas no meio do caminho, não seguimos, cegamos, não somos, ficamos presos na roda do tempo. Julguei ser possível toda sorte sussurrada nos vãos dos lábios, prece, pecado, promessa, encanto, canto, sofisma, falácias, falo, fala crua.

Hoje escolhi o Caminho do Meio, nesse pergaminho que me entregou riscos e rabiscos, rascunhos que decifrei. Enfeitei meus dias de flores de cores, deixei às margens do passado dardos retirados da pele, mel e leite no pires presente a Deva. Nesse caminho te convido a seguir. Sigo!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

[a]manhã


Ainda que o sol anuncie o ocaso, em outro rincão raios de sol acordarão uma manhã e em todos os amanhãs haverá cores brilhantes da aurora, e dourado pôr-do-sol, anunciando a noite abraçando o tempo. Momento Sublime imerso em pensamentos que levam-nos a meditar, aconchegados no vazio onde somos feitos de nada, apenas nós e o vazio.
Permanecemos envoltos no silencio, envoltos na escuridão e as recordações a cada dia mais longe, fazem companhia na distancia, junto aos sonhos onde habita somente as estrelas, os anjos, um mundo distante, um mundo fantasiado, um sonho despertado na realidade bruta.
Os sons dos sussurros desejados em mil pedaços fragmentados de notas estilhaçadas no universo voam sozinhos, o vento levou o perfume do amor, já nada existe, as almas vagueiam, passeiam ao relento buscando alento no movimento da vida.
Momentos são esquecidos dissipam-se como nuvens brancas em nosso pensamento. O corpo já esquecido dos toques suaves, intensos, adormece em lençóis macios de ausências, sonhos e fantasias aos poucos deslizam suaves no tempo esquecido.
A Noite chegou, trouxe-nos o brilho da lua, outros pequenos pontos como diamantes brilham no espaço enfeitando a noite, vemos ao longe nossos sonhos fantasiados de amor e em nós a realidade vestida de dor.

domingo, 4 de outubro de 2009

Pensamentos


O silencio é um presente de grego
Recheado de saudades gritadas,
Ecoando na pele riscos sangrando desejos,
Tatuagem desenhada com tuas mãos
De lembranças,
Percorrendo curvas em movimentos
Arrepiadas dos beijos teus
Essa lembrança que a chuva não leva,
Não dissolve, apenas aconchega nas madrugadas
Silencio na escuridão
Formando na imaginação
O intenso brilho dos teus olhos.
Contemplo a noite,
O brilho da lua,
O beijo na rua,
Constelação de Orion,
As folhas ao vento,
Meus momentos no tempo,
Olhando o horizonte
Onde existe
Um vazio
Silencioso
Ecoando
Teu Nome.

Toda Noite


Noite cintilante
Silêncio sibilante
Raio rutilante
Lua nua
Deixa-se acariciar
Desliza nas horas
Silenciosa Noite
Beija ao longe
Os desejos da
Boca Tua

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Ficção


Entre um anoitecer e um amanhecer, amanheço meus sentimentos abraçados aos teus, anoiteço os desejos nos sonhos teus. Acordamos a história escrita nos dias de outrora e colores as lacunas dos dias meus. Lembra-me de uma quase realidade, um caso reinventado, um trato, um silencio musicado no baile da saudade.

Ensaiamos uma dança no tempo, vestida com os traços criados de véu carmim, teus beijos sabor de frutas roubadas. Vontade antiga, desejo de ficar em meio ao sonho entre um anoitecer e um amanhecer.

Teus lábios afagam meus receios, nesses dias roubados do Tempo, um oásis de desejo um (a)mar de sonhos. Confidenciamos nossos medos, encaixamos nossas queixas, e deixamos que nossos corpos aos poucos desapareçam na imensidão do Horizonte e nossos Desejos se encontrem na Ficção.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Somos


Esse grito que carrego na alma, cravado como lança no peito, ecoa na minha rua entoa uma canção que se perde no jardim, um sopro dos teus lábios em meu ombro, alertam um alento uma Reação ou uma canção.

Meu movimento era teu sorriso um aceno a próxima Cena, outro Ato, outro Eu, outro Você, outra Máscara, estamos a um passo de Nós e somos Nada, um Conto nas madrugadas frias.

E o sabor que trago, banha meu corpo de segredos e sonhos.
Um semblante, um sopro, uma carta, um segundo
Um beijo com gosto de Pecado!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Sobre Autor e Narração


O autor implícito – imagem do autor real criado pela escrita é ele que comanda os movimentos do Narrador, das personagens, dos acontecimentos narrados, do tempo cronológico e psicológico, do espaço e da linguagem em que se narram indiretamente os fatos ou em que se expressam diretamente as personagens envolvidas na Historia.

Assim como a poesia é feita de silêncios e sons, a narrativa ficcional é feita de “visão e cegueira”. – O que o narrador vê e deixa ver está subordinado a “uma visão mais extensa e dominadora”

O autor implícito – pode levar-nos à visão de mundo que transpira da obra, aos valores que ela veicula, à sua ideologia.

Narração e ficção nascem juntas, quem narra, narra o que viu o que viveu o que testemunhou, mas também o que imaginou ou o que sonhou.

A Lírica que daí brota é o conteúdo subjetivo “a alma agitada pelos sentimentos” . Aproxima-nos intimamente dos fatos, uma proximidade que nos dá a ilusão e conforto.

Que é o que chamamos de Verossimilhança. Verossímil, não necessariamente verdadeiro, mas parece sê-lo, graças à coerência da representação e apresentação fictícia. (Hegel- Objetividade ficcional).

[um pouco sobre literatura nesse vasto mundo de ficção e realidade que tanto amamos – in. O Foco Narrativo - Ligia Chiappini Morais Leite]

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Cá na palma da mão


[“além desse mundo sonhado, imaginado, a sombra da lua percorre as ruas, se cala afogada no lago, último suspiro, quimeras desenhadas na tela dos dias num tempo deixado ao lado, esse tempo que habita a eternidade de um instante, nas dores da alma// nessa noite meu voo entre morfemas e metáforas perdeu-se como papel amassado de rascunho, como folha arrancada de um conto não terminado// apenas o pensamento sobrevive nessa alma que voa, o coração frêmito inquieto se entrega agora ao silêncio, no vácuo, banhado pela fragrância da primavera, descansa recolhido, refratário as palavras atiradas ao vento// a música em notas suaves envoltas na essência do incenso, aconchegam a alma que retorna do voo dos sonhos// o silêncio acolhe os sentimentos segurando em seus dedos de tranqüilidade esse novo coração”]

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Olhares


Dentro dos meus olhos
Brilha um horizonte
E quando fito teus olhos
Meu Mundo
Enche-se de Luz.

Procuro não esquecer
Teus Olhos
Toda sorte de emoção
Reside
Na sensação que me despe.

Quando teus olhos cruzam com os meus
Ouvimos frases cifradas
Sem palavras
Todas nossas verdades.

Carregamos em nossa retina
Um olhar no mesmo Horizonte
Um mesmo desejo que guardamos.


Toda Magia contida no Amor
Trazemos segredados
Em Nosso Olhar.

Assim Te Amo
Apenas em
Te Olhar.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Mundo




... uma noite de verão
Um sorriso e
Um beijo no coração...

Uma canção
 minha razão
De todos os homens...

um chamado

-vida MInha-


...jardim cercado de amor
doce amor,  infinito amor!

O desejo da minha alma
primeiro e último Amor!

Meu Presente
Noite de Lua
Sonho de Verão
 brilho do sol!

Fragrância primaveril
dos beijos teus  Homem
Meu!

Estação de frutas doces
cítricas, macias, rosadas,
sabor a mel...

amor, amor...

..horizonte azul
 sonhos liláses
desejos azuis

...que Mais?

Amor Meu!




sábado, 19 de setembro de 2009

Nosso Tempo de Vento


ESSE instante vento forte com MEUS Balança Sentimentos melodia Minha e Tua embalado fragilidade, sou de Feita Inquietação, Minha nao sei Emoção Conter, como sou o vento forte que, como Vezes Passa e e-fold como brisa suave.

Vento forte sou TEU desalinho sossego que você Deixo desassossego em, você bebe, com MIM ASSIM, carrego-te los Minha inquietude, Nao sou lagoa sou Localidade: Não estática, Nao sou sossego. Sou vento e te NAS concordou amanhece acariciando desejos MEUS teus.

Ouço, seios Pela embalado tua brisa melodia vento, cam-me los TEUs Olhos MEUS Passos fitando visualizar Onde E Meu universo que apenas e Você ou é Minha Pele calor tudo o que fogo VEM TEU corporativa.

Eu presenteia sopro suave com Lembranças nunca viveu, sentiu los Nossa distância AO SOM filhos criados de cítaras e Celestiais. Suave brisa ASSIM SOU-como múltiplos e espasmos causados ​​fantasias.

Nossas almas encontram-se melodia Nesse nessa Sonho SEM pontuações Nesse instantaneamente dormente permanecem abraçadas Tudo E Nesse segundo ou vestimentas, um Tempo de Vento forte e suave, que ASSIM completa, ASSIM nós amamos!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

...era tarde


A tarde de ouro enfeitada deixou-se beijar pela luxuria da luz do Sol
Germinou com flores de paixão os sentimentos ali plantados
A tarde se enamorou, ficou ali acariciada com os raios que penetravam
naqueles minutos que suavemente
escorriam nas horas.

Era tarde já era tarde, ela pensou...recolheu-se naquele fim,
outro elemento ali ficou.

A Tarde adormeceu nas lembranças do Sol Poente
Amarelas flores no fim da primavera
 ficaram ali espalhadas...


O Sol mantém a Tarde na saudade que acariciou
Segue na Noite a lembrança que serenou
Escuridão e sombras na madrugada
Debruçando ainda nas manhãs
um resto de Noite, lembranças,
Sombras
quentes das tardes de verão...

A Lua guardou-se chorosa e triste com seu brilho
para sempre longe do Sol e das Tardes,
já era tarde
Eram sonhos as tardes?

Eram tardes
Era Tarde
Tardia conclusão!

Os pensamentos eram estações floridas
quentes raios de sol penetrando
Recordações!


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Conta



Amor, eu perdi a conta dos minutos que contava, já não dou mais conta dos segundos que faltavam, no momento da chegada. Desconheço se houve razão, apenas perdi a conta e hoje já não faço conta se houve razão ou não, do momento que na minha conta se perdeu entre um dia e outro um ontem e um agora.

Amor, o Amor não tem razão nem explicação, essa matemática da razão deixo aos filósofos, psicólogos, contadores... Eu paguei a conta, apaguei a conta e já não faço conta. Na minha conta, a razão do Amor é simples, dois sentimentos, resulta Um. Um mesmo sentimento de amor.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Sabores e Pensamentos


Você é meu Tempero
De Sabor exótico
Como Pimenta nos
Lábios.

Gota de Limão na
Ponta da Língua

Beijo sabor de Lima

Sorvete de Creme
No Ventre.

Óleo de menta
Na Pele.

Bolero na Penumbra
Da Primavera.

Café com gotas de chantili
Chá com sabor  Você.

Esperança de estrela cadente
Sol, Luz, Horizonte, Amanhã!

Uma manhã, um desejo
Uma Tela que hoje rabisco
Ao som das gotas da Chuva.

sábado, 12 de setembro de 2009

Algo Assim...


Fecho os olhos
Pensando em Você
Abro os olhos
Amando Você
Meus Sentimentos
Abrem e Fecham
Fazendo Amor
Com Você!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Universo em Nós.


Neste Mundo de palavras encontro um universo de saudades, pintadas de tom azul pelas mãos suaves de um artesão de sentimentos, que molda com seus dedos um Mundo de desejos tão nossos, eterniza um encontro de parágrafos que fazem amor nos interstícios de nossas vontades.

Este mágico Mundo criado, pictórico toma forma sob noites de Luar, tardes e manhãs ensolaradas. Castelos de Sonhos criados, flores que brotam fragrâncias em meu corpo, olhares na distância do instante, saudades amalgamada nos dias de solidão, onde nossos corpos unem-se abraçados em nossa voz.

Neste Mundo tua essência está gravada no passado, presente e futuro, um encontro marcado no Tempo no sabor de tua boca, aconchegado no calor do teu peito. Neste Mundo de prazeres contidos entregamo-nos aos devaneios de um momento eternizado nos segundos dos nossos pensamentos, sem ilusão.

Apenas um Sonho adormecido em Nós.

Aqui Neste momento, deixo as palavras calarem um silêncio de presença constante, um sussurro uma vontade,  atração em movimentos lentos, um Sonho, um Encontro um Beijo de coloridos sentimentos, fractais que emergem do coração e da emoção de sempre te  Amar.

(sei lá!)

[verso e reverso]

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Ao sabor do Vento.


Meus momentos são feitos de Ventos, ventos que arrepiam a pele e desalinham os cabelos. Ventos fortes que chegam ao fim do dia, trazem pensamentos de todos os dias, mensagens enviesadas no rascunho do tempo. Eu gosto de Ventos uivando no Tempo.

Encontrei-te nesse tempo de Vento, onde sempre voo além de mim. Aqui nesse tempo inventado, nesse mundo de palavras ao vento, todas elas sopram suaves em meus cabelos desalinhados, deixando o perfume da tuas mãos, fragrância de amor, essência de desejos. Eu gosto de Ventos beijando meu Tempo.

Entrego-me nas asas do Vento sigo sua inconstância, seus prazeres em redemoinhos, brincando a minha volta com movimentos cadenciados, envolvendo minha cintura, bailando em meus sentidos plenos de gozos descendo em espiral de êxtase da nuca aos pés.

Vento faz amor em meus devaneios.

Arrepia cada curva do meu corpo, traz-me teus sonhos, traz-me teu sabor, traz-me teus desejos de fazer amor, escreve em meu ventre o teu Nome.

Deixo-me levar pelos movimentos do Vento, pela atração, pela paixão da tua imaginação.
Vento Amo Você Assim toda Noite acariciando meu sono de sonhos!

domingo, 6 de setembro de 2009

outros instantes




A penumbra aconchegante que me envolve tem olhos de solidão/ lembranças que nos levam e nos trazem/ momentos de saudades com nuances de espera/ acendendo uma luz de ilusão calada na penumbra/ Saudades são traços de um tempo de sonhos com imagens de tantos momentos / e o gosto aprisionado na boca/ um breve e tão pequeno instante de devaneio no silêncio da penumbra/ alimentando centelhas de desejos/ Fico aqui e quero entender porque se ama em silêncio/

sábado, 5 de setembro de 2009

Sentimentos "Voantes"


Deixo que em meu jardim
Borboletas voem sobre meus sonhos
Deixo que me levem ao longe
Em seu jardim
E
habitem em desejos
Dentro de mim.



[Das páginas do Livro dos Dias - Sempre um LIndo Jardim
onde Borboletas sempre voam, e voam em inspiração.
Uma Linda canção do Poeta "Madrugante" - Everson Russo]

Chegada e Partida



O amor vem não sei de onde/um dia vem/e um dia vai/e leva o melhor que há em nós/
Leva Lembranças/e vem a saudade!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Queria saber te Amar.


Fecho meus olhos em lembranças e notas de uma música inventada materializam-se a minha volta, cada nota em meus sentidos me recordam apenas uma dança, a dança de nossos desejos entoados de sussurros arrepiando nossa pele, e teus lábios ávidos buscando os meus.

Abro os olhos nesse leito sem sentido e vejo o brilho da Lua.

Se fechar amor os meus olhos, não poderei ver o encanto da lua e tudo o que queria era saber se olha o encanto da lua ou se vê no horizonte uma forma de amar. Só queria que soubesse que nesse leito sem sentido eu olho a lua que brilha logo ali.

Queria amor saber te amar e saber quais palavras te dizer, se enfeito todas com o brilho da lua e nem assim eu sei se faz sentido a lua que enfeita a noite e se ela te faz sonhar, Não faz sentido meu desejo de que olhe a lua.

Queria que por um momento quisesse olhar adiante, e que meus sentimentos tocassem os teus. Queria que soubesse que nesse Leito sem sentido eu olho a lua que ilumina um ponto onde estou, e gostaria que aqui também estivesse, porque não faz sentido estar em um ponto onde você não está.

Queria amor que soubesse
Que eu só queria saber como está
Que invento uma melodia
De olhos fechados nesse leito sem sentido
Somente pra saber como devo eu te Amar.

(?)

domingo, 30 de agosto de 2009

Oferta de Amor


O amor que se oferta
Tem a forma de Amor
Não têm formas perfeitas
Têm formas de poesias
De palavras jogadas ao vento
Têm cores de horizontes lilases
Sonhos coloridos desse momento
Têm sabores de verão
E aconchego de inverno
O amor que se dá
Tem de ser sincero
Jamais omitido
Pode ser arriscado
Amar tanto assim
Talvez um pecado
Amor Profano
Amor ofertado
Têm saldos e
Créditos
Amor de oferta
Acessível
É Simples
Sem razões
Nem complicações
Sem explicações
Nem justificativas
Amor que se dá
Deve ser vivido
Hoje -sem ontem
Hoje - sem amanhã.

[Lindo Poeta das Planícies, me faz sempre pensar, em suas letras cheias de sentimentos, escrevi esse post depois que Li os versos – POETICAMENTE – lá do horizonte de XANADU/POESIAS –  28/08/09]

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Reflexão


Entre o sonho e a realidade há um sonho
Entoando uma canção celestial.

Saberá o ponteiro da razão
Seguir seu próprio verão
Um presente uma canção
Um desejo uma emoção.

Ficou de presente na alcova
Uma rosa e uma prova
De que o presente
É um corpo macio
adormecido
Em travesseiro de sonhos.

Cobertos com edredons de retalhos
De fantasias de um
Sonho que não terminou
Sonho colorido de retalhos
Do tempo que ainda não chegou.

Antes de partir uma melodia
Na pele marcou
Notas da partitura que o
Sentimento dedilhou
Nota afinada
Celebrada
Das vontades
Que ficou.

Voltar não podemos
O presente é o que temos
Um próximo verão
Não saberemos
Um lençol desalinhado
Um horizonte descortinado
O presente é sempre um presente
De um beijo sincero
E é tudo o que temos.

[versos inspirados nas partituras de sentimentos do
Poeta,músico,sonhador,inspirador Everson Russo,
Alma Linda!]

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Pecados de Anjo.


A voz do Anjo trouxe dos céus de verão uma mensagem a decifrar. Era dos corredores da vida o limiar de um momento qualquer em meio a vozes de tanta gente, a sua era um doce sussurro, uma breve melodia na Noite longa. Era uma voz de sonhos.

Uma poesia, um recitar, um cantar, um envolvimento de vozes na Noite debruçada entre o limiar da madrugada, em meio à loucura das palavras escorriam vontades. Ele segredou seus pecados de Anjo em seu mundo de ausências e silêncios.

Os toques de seus pensamentos desenhavam um corpo vestido com flores, sob a pele nua, sua boca massageou, estimulou movimentos imaginados em seus corpos. Vibrações, suores, um desejo adiado. Uma Noite que virou manhã molhada. Naquela noite choveu chuva de verão, e as gotas testemunharam o desejo do pecado do Anjo.

Ela era gente. Eram Noites e manhãs de Verão.

Suas asas de Anjo levaram-na ao infinito, portais secretos, junto às estrelas, dançaram ao vento ao relento, beijos foram selados, abraçados sorveram os momentos
Ele segurou entre suas mãos a face de um ciclo de cios, entre seus olhares havia um silêncio de um sempre desejo na ausência. Havia um sonho despertando Cores. Era um Sonho permitido. Eram tardes de Verão...

Ela era tão gente
Ele era um Anjo
Em dias de Verão.

Ele era uma Luz na
Noite e Sol nas
Manhãs.

Enfim era
Um Ponto perdido no
Infinito.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Verão


Verão...
Que era verão
Eu conto...

As tardes envolviam as Noites de brisas cálidas, como hálito de amor na nuca, havia perfume de flores no ar e nos cabelos desalinhados e molhados, havia frescor de um banho de cachoeira, e na pele perfume de cores azuis e verdes, cheiro de folhas maceradas, infusão despertando a libido, era Verão.

E a noite seria mais uma noite de verão, janelas da vida abertas, pés descalços no chão quente, vento de tardes quentes, invadiam a pele dos sentires da noite, um jeito gostoso de noites de verão. O verão da noite trouxe uma voz terna, suave e quente como brisa das tardes que envolvem em abraço a noite, de cabelos desalinhados e pés descalços no tapete com as cores quentes de verão.

Ela recebeu essa Noite, lembranças dessa voz cálida, sentimentos calados, uma vida desenhada em poucos minutos, uma eternidade de marcas no peito, e nos olhos negros desse Verão, na pele da Noite quente entre a voz e o cheiro um quase toque, um quase desejo da voz quase sussurrada, um pecado de Verão brotou como suor escorrendo na pele. Um caminho, um delírio, um sonho, uma fantasia, um abraço uma alegria.

Uma viagem a descobrir nos braços do Verão, desencadeando ondas de calor, vibrações, suores, fomes que o desejo não sacia, adia.
O Verão trouxe um beijo na face da lua e as Noites de verão e tardes de Verão...como eram, como foram, como seriam, ainda é um Conto pra Cantar,em melodias de citaras embaladas como mantra na voz de um Anjo.

Ele Conta...

[continua...]

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Era uma vez, que não era uma vez...



Ela estava envolta de sonhos, rodeada de tantas vozes. Estava ela sozinha rodeada de gentes, sorrisos, canções, danças, vozes e silêncio, sozinha em seu mundo de gentes. Jogava o jogo da vida,cartas marcadas,blefe,embuste,canção decorada com flores de outra estação.

Trazia fragmentos de sonhos, cantava a canção da vida, entoando cifras de desejos, em volta de tanta gente em meio a tantos sonhos, ela sorria um sentimento sincero da vida que corre nas veias. Os céus de suas estações tinham cores de esperança da vida que vem de gente que vai, de gente que fica de gente que sai. Cantava a canção da Lua, andava na relva de pés descalços, trazia uma criança alegre dentro de si, inocente, brincava na roda da vida, sem mágoas, ilusões, pretensões, ela vivia superações, em suas veias corriam sangue e em seu peito havia um coração que pulsava um canto de paz. Ela era tão gente...

Ele chegou...era verão...

Era uma vez que não era uma vez... Eu conto outra vez...

[continua...]

Carícia




Meu Horizonte desejado
Tem as cores do teu Céu
Azul da madrugada
Lua prateada
Estrela enamorada.
Horizonte imaginado
Lascivo beijando o Mar
Despertando prazeres
Secretos
Em ondas de amar.

Sonho
Em forma de fractal
Formas que se formam
Na penumbra da madrugada.

Segundo que passa
Circula
Desliza
Fixa
Lento
Eterno
Horizonte
Tocando o
(a)Mar.

[Entendo agora porque o Horizonte toca o Mar]

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Sombra


Noites de chuvas deixam-me acordada, meus sentimentos de chuva têm uma gota de você. E choveu a Noite toda, e você em mim toda a Noite. Já não é a ausência do amor que me acorda, nem saudades, é esse insistente pingo de chuva que escorre em minha pele.

As flores do meu jardim sorveram cada gota da madrugada molhada, alimento, sustento da vida da raiz da flor. Fiquei acolhida, encolhida, abraçada as minhas pernas, posição que me esquenta eu comigo mesma. Pensamento na chuva, no jardim, nas gotas, chuvas me levam de um lado a outro da rua, onde o amor mora, uma Sombra uma metáfora.

Meus sentimentos são travessos, e com a chuva da madrugada sonhos atravessam minha alma acordada, deslizam suaves e quentes imagens de olhos abertos na penumbra. Uma Sombra me envolve e remexe meus sonhos travessos.

Sombra de hálito morno torna meus seios intumescidos entre seus lábios e meus desejos. Toma forma de dedos suaves desenhando meu corpo molhado com sentimentos de chuva, massageando cada ponto desenhado de prazer. A chuva molha a Noite e a Sombra abraça meu corpo com seus dedos e lábios molhados de meus pontos desejados.

 Amanheço, ainda Chove, e a Sombra? Era apenas sombra.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Tecendo Amor


Linhas de amor
Tecem teias de ardor
Ponto a Ponto!

Uma página de sonhos.


Encontrei-te entre as estrelas cintilantes,
Brilhava solitário acordando sentimentos
Lembranças da alma, cativa no peito.

Trazia um acorde de cordas
Entoava canções de saudades
Enviou com os Ventos das madrugadas
Notas de brisa luxuriante, inebriante.

Dancei na melodia sussurrada
Abraçada em minhas lembranças
Sentindo na pele o roçar das asas
Das borboletas.

E juntos entrelaçamos um verso no outro
Desenhamos os beijos com pigmentos
Da cor da Lua, descobrimos que o amor
Mora do outro lado da rua, sem nomes
Uma sombra, uma metáfora.

Dessas madrugadas de sonhos
Uma flor de meus cabelos levou
E aqui o Poeta deixou uma canção
Embalando meu sono...


[Palavras inspiradas na poesia Lilás - Everson Russo,Poeta,músico,sonhador,inspirador,
Alma Linda!
Um beijo de carinho e Obrigada pelas Letras]

http://olivrodosdiasdois.blogspot.com/

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Caixinha de Surpresa


Você é o Protagonista da minha história
O Sol das minhas tardes
As ondas dos meus devaneios
A Noite prateada de Lua
A surpresa mais esperada
Todos os Predicados Superlativos
Uma caixinha de surpresas
E eu adoro desembrulhar
Tirar de dentro de Ti
Palavras que nem em sonhos
Imaginei.

Um Presente tão
presente em meu Presente!

sábado, 15 de agosto de 2009

Espera


Enquanto vou caminhando
Uma canção
Vai me levando.
Enquanto estou esperando
Uma imagem
Vou desenhando
Enquanto estou te amando
Um Horizonte
Vai se formando.

E Nele só existe Você!

Um Presente




A cor Lilás sempre despertou em mim
Aconchego, algo como um abraço gostoso
Uma energia quente dentro de meu corpo
Uma sensação de Paz interior.
E percebo que em meio a tantas coisas
Difíceis que se apresentam em meu quotidiano
Estou sempre Feliz, muitas vezes algo de ruim
Acontece, então fecho os olhos e digo: Vai passar
E passa. E a cor Lilás sempre esteve presente em Mim.

Nesse sentido, gostaria de presentear todos que passaram
Por este Horizonte, leram, deixaram comentários, outros
Apenas leram ou apenas abriram a página por curiosidade.
E já foram 1000 Seres de Luz que aqui vieram
E todos ao abrir a página visualizam a cor Lilás, falando
De um Horizonte. Então fiz um Selo comemorativo
Pelas visitas, para que todos vocês tenham em suas páginas
Uma Luz Lilás em seus Horizontes.


"BRILHA LILÁS EM MEU HORIZONTE, CHAMA ETERNA TODA LUZ!!


Com carinho e um Beijo de muita Luz em suas Vidas!

Abaixo deixo um link que fala um pouco sobre o significado
Dessa cor, que busquei hoje, eu apenas sabia que a Chama Lilás,
Representa o Perdão e a Compaixão
Fiquei sabendo mais e compartilho com vocês.

http://bonsfluidos.abril.com.br/edicoes/0041/cores/a.shtml

Obrigada!

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Brincadeira de Amar.


Amor
Rima com Dor
Amor
Rima com Calor
Amor ri
Quando encontra
Outro Amor
Rima então Amor com Amor
E amor com amor
rima com ...

Instante


Pensante
Andante
Passante

Cansante?


Delirante!

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Vento da Noite



Entrego-me à Noite para que ela me leve em sua escuridão, quero o escuro desse momento, em silencio, deixar que o vento lânguido, frio, sopre com seus lábios sedosos meus poros. O Vento da noite no escuro entre as folhagens sabe chegar ao meu encontro, encontra  meu corpo na penumbra.

Não há luz nessa Noite, nem um ponto a brilhar. A noite deixou-me assim, despiu meus medos do escuro, ensinou-me a amar no breu do céu. Fez um leito de nuvens, deitou-me em seu corpo de sonhos. Acaricia-me os seios em movimentos lentos, contorna meu perfil com seus braços quentes, arranca-me suspiros dos lábios semi-abertos.

As sombras deambulam em nossa volta, sombras de anjos, espalhando sobre nós fragrâncias almiscaradas, mesclando em meu corpo, suaves aromas de puro e sublime amor, fluidos do orvalho da Noite, sêmen que escorre em minha pele clara, deslizam como água morna das chuvas de verão, suaves em minhas pernas entreabertas.

A Noite escura de Vento suave, sorve minha alma, minha essência, deixo que nessa noite, meus gritos de prazer ressoem na imensidão desse negro instante, o espasmo provocado no momento em que meu corpo é penetrado da energia etérea de tanto amor.

O tempo para e o Vento de hálito morno aconchega-me em seus braços de amante, embala meu sono em nuvens de sonhos, até que os primeiros raios de Sol despertem meu corpo banhado de prazer.

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Tua Luz





Quero-te em minhas manhãs,
Estrela da Manhã

Deslizas suave em meu corpo
Teus dedos de luz

Meu corpo adormece
Meu âmago sonha
E tu,
Brilha distante, tão longe
Dos meus sonhos.

Luz da Manhã, deixastes em mim
 esperança
Cintilando como se magia fosse

Em minha retina o reflexo
Dos sonhos
O sorriso dos lábios
O brilho da alma.

Estrela vem acordar
Minha alma que sonha
Acolhe-me em teu brilho
Luz da Manhã!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

Transformação


Quando te encontrei
Percebi
Minha Paz
Dentro do teu Olhar
Ali estava meu coração
E toda Transformação
No mais doce silêncio
Foi onde encontrei
A melodia que embala
Minha Vida!

domingo, 9 de agosto de 2009

Aroma onírico


Imagens e aromas, sensações subjetivas
Emoções substantivas
De olhos fechados, deixo que minha alma medite
Edito imagens de lembranças, que nunca vivi
Apenas imaginei.

Minha alma voante
Leva-me ao paraíso
Onde quero estar
Além das brumas do imaginar
Somente para sonhar

O aroma das Tulipas.

Flores coloridas roçam
Minha pele feita de vento
Meus dedos recebem o toque
De seda de cada pétala
Percorro esse campo
Jardim imagético
Éden onírico.

Impregnada de perfumes e
caricias de tantas cores
Meu corpo de vento translúcido
Desliza entre as flores
Encostam em minha pele
Folhas rijas lisas eretas.

Hastes, folhas, flores, cores
Belas, únicas, raras
Sensação de ternura que
Fazem-me sentir o aroma
Imaginado e sentido.

Aroma de amor, cheiro de
Terra úmida, cheiro de bulbo
Extraído da terra quente.






sábado, 8 de agosto de 2009

Ritual



Sou amante da Noite das sombras de lembranças guardadas na alma. Desperto ao fim do dia um beijo de saudades e deixo que meu horizonte banhe-se com a fragrância do teu hálito, um sopro de vida que emerge da tua cálida existência.

Envolve-me em delírios imaginados de teus dedos massageando meus sentidos recostados em qualquer parede de concreto gelado. Entrego-te minhas doces fantasias de prazeres silenciosos. Nossas almas entregam-se sorvendo esse instante sonhado.

Nesse jardim noturno a sombra da realidade contorna meus sonhos tornando-te um ser físico, deixou de ser uma luz no infinito e brilha constante aquecendo meu fim de tarde, sabendo na noite outro sonho, bailando em mim na mais pura realidade. Chama Eterna Toda Luz presente em minhas Noites de Lua cintilante.

Sou amante da Noite, onde sei vou te encontrar quando teu corpo adormece inerte, já fatigado e castigado, tua alma transcende em paz de menino, brincando ao vento envolto em nuvens matizadas de tom lilás, espero-te todas as Noites nessa alcôva enfeitada de objetos de sonhos liláses. Despertas com lembranças desse encontro de sonhos, segue teu quotidiano sabendo que nos sonhos das Noite me Amas!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

/beijo/


o/beijo/mais/gostoso/foi/aquele/que/
não/
demos/
Ficou/
marcado/
em/
nossos/
lábios/
então/
nos/
beijamos/
todos/
os/dias/
quando/lembramos/que/ele/não/foi/dado/

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Frio


Repouso abraçada a mim
E meu calor não é suficiente
Abraço então minha alma
Todavia meu corpo está gelado
Aconchego-me em silêncio
Encoberta de lembranças
Calor que me traz o Sol
Aquecendo meu quarto frio
São sentimentos de calor
Paisagem de teu sabor
Que esquenta
Meu corpo
Nessas
Madrugadas
Geladas.

domingo, 2 de agosto de 2009

estragégia



Diga que é estratégia Tua
Esse jogo de calar
Diga que o silêncio
É tua forma de Falar
Calo-me então
No teu jeito
De Amar!

Teu sono



Enquanto dormes abraçado aos sonhos
Estou acordada velando teu sono.
Quando acordas envolto de marcas
Velei tanto e de tão perto teu sono
Que não resisti
e de leve te mordi.

sábado, 1 de agosto de 2009

Escrevo teu Gosto


Escrevo: Eterno teu perfume em mim
Escreves: São fragrâncias de lembranças
Escrevo: Inunda-me a Alma
Escreves: Podes te afogar
Escrevo: Vêm-me com o vento
Escreves: Ventos voam ao longe
Escrevo: Aprisiono teu aroma
Escreves: Aromas são voláteis
....

Escrevo teu gosto, em minha boca
Marcada do aroma dos teus beijos
Teu gosto inunda-me a alma
Não preciso de respostas
Trago em meu corpo
 respostas
Carícias
Toques

Sabores
Do teu
Amor!

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Frio



Voos de inverno
Deixam a pele gelada
Congelam o Sentir!

Vontade do Sol de Verão
Das cores dos beijos
Do calor do teu Abraço.



Lua


Amo a Lua
Brilha em minhas madrugadas
Eu e a Lua
Despida dos medos da escuridão
Apenas a Lua
Igual a Lua cheia de fases
Eu vou
Fases de Lua as vezes
Meia-LUa
Meia-Nua
Fazes da Lua
Poesias
Singelas
Prateando fases nossas
As vezes de Lua.

(inspirada na Poesia do Lindo Everson Russo
Prateando uma madrugada de Lua acordada)

Janela


Da janela da minha vida
Fico olhando a hora que corre
As pessoas que correm outras
Rotas, seguem rotas.

Amores que mudam de casa
Casas que mudam de cores
Cores que mudam os muros
Muros que cercam as cores.

Da janela da minha vida
Vejo sempre as madrugadas
Que despertam fantasmas


Dia após dia

Vejo que estou presa
E há apenas uma janela
Essa onde estou ...

quarta-feira, 29 de julho de 2009

eu Cá



e


e

Nem tanto Cá
Nem tanto Lá
CALA uma
Vontade Só
De soletrar.

Harmonia


Canção
silenciosa
que vem da
Tua
Alma
Embalando
Meus
Sonhos!

segunda-feira, 27 de julho de 2009

...desses dias Serenos



...teu prazer que percorre
meu corpo nas Noites
Acordam sutis lembranças
Despertam desejos serenos
De tão breve instante
Guardamos a melodia em Nós
...
 além de qualquer Tempo!

Clima



Em dias de chuvas
Palavras ficam
Gotejadas
Em dias de calor
Palavras ficam
Suadas
Em dias de outono
Amareladas
Primaveras
Coloridas
No inverno além de
Geladas ficam
Esgotadas.

Pedra da Lua


Pedra da Lua
Pontilhada de
Minúsculas
Luas brilhantes!
Dentro de mim
Sentimentos de
Minúsculas
Luas
Brilhantes
Sentimentos
Cintilantes!

Raio




Temporal
Atemporal
Estriando
Silêncios
Em nós!

domingo, 26 de julho de 2009

entre pontos um conto


Alguns momentos são ?
Outros !
Então ...
Difícil
 é .

Saudades!



Saudades
Palavras
Presente...

Dentro do
Presente
Palavra
SaudadE!

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Sem rumo


Como uma folha ao vento
Tempestades noturnas
Madrugadas de inverno
Quase inferno
O vento na janela
Leva a última folha
Voa sem rumo
Ao vento das estações
E vai dizendo em cada
Horizonte em que passa
Teu nome em silêncio.

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Pontuações


O homem que eu amo
Inspira versos
Desejos
E meu reverso
Decifra meus
Mistérios
E me tira do
Sério.
Sabe meus pontos
Coloca uma vírgula
Quando quero um
Ponto final.
Pontua reticências
Quando ainda estou
Na vírgula
Pontua exclamações
Nos meus gemidos
Uma interrogação
Em minhas madrugadas
Eu me perco em tantos
Pontos. Após tantos
Sinais.
Um signo
Entre aspas depois
De dois Pontos:
“Eu e Você”

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Ciclos





Vou deixar as palavras
Assentarem...

Vou deixar que outras
Venham em outro tempo
Vou deixar que a voz
Permaneça no mesmo tom.

Vou deixar que a chuva
Molhe minhas madrugadas
E me leve ao longe,

Para ali ficar
Até que outras
Palavras
Assentem
Em meu
Coração.

E meu beijo
Em teu
Coração!

Danço


Teus olhos fitam meus desejos
E tua voz meus desejos
Excitam
Você é um misto de Sinfonia
Dança de alegria,
Acorda-me a
Libido todo dia.

Leva-me em teus passos
De melodia
Lenta.

Adentra
Toca meu corpo
Em Movimentos
Suaves.

Embala
Conduz-me
Acordada onde quero
Ficar.

Ser a corda
Tocada
Dedilhada
Ser o som
Esperado.

Que teus desejos
Acordam!

terça-feira, 14 de julho de 2009

Poetizar


Não queria poetizar
Queria apenas amar.
Aos poucos você foi
Introduzindo palavras
Em mim, lentamente.
Lentamente foi tirando
Palavras, lentamente
Colocando palavras e
Tirando palavras.

Tomou-as Uma a uma
Lentamente,
Avidamente.

Em meu corpo deslizou
Palavras sussurradas dos teus
Lábios aos lábios meus

Agora vou mudar
 contigo
Vou estar, além muito além
 além muito além do
mar.

... vou estar contigo
Nesse espaço infinito

Germinar palavras

Poetizar?

Deixo para os Poetas

Que Sabem Amar!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Enquanto


Minutos e segundos acompanham a imaginação
Deixo-me aninhar em lembranças
Quente em teu abraço fugindo do vento sul
Fugindo do inverno fugindo do inferno
Longa e Fria Noite
Tento parar a visão que tenho de ti
Ela para perto do meu rosto
Que posso quase beijá-lo
Estou nua desprovida de palavras
Texto sem nexo sem pontos
Sem rimas sem Alma
Apenas a presença constante eterna
Terna de tua respiração aqui ao meu
Lado enquanto escrevo
Teus lábios quase tocam meu pescoço
Enquanto escrevo tuas mãos percorrem
Meu corpo arrancam-me a roupa
Tocam meu seios param em meu ventre
Eu escrevo ao sabor do gosto do vinho
Enquanto insistes meu corpo possuir
Sabemos do nosso desejo na carne
Marcado de tantos sabores
Enquanto escrevo ouço tua voz
Sussurrando Saudades
Confessando Desejos
Enquanto escrevo lembranças de Amor
Fazes ao meu redor Amor com minhas
Lembranças
E tua Presença ficará sempre ao redor
Chama Etérea Toda Luz

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Sonho Lúcido


Guardo tantas coisas, entre elas guardo Sonhos
Em caixinhas coloridas de Arco-iris
Sou uma incorrigível mulher “Sonhante”
Mera coincidência se pensou em Sonho/Amante.

E, às vezes quando acordo com vontade de Razão
Penso que sou tão forte como alazão
E não tem espaço para ilusão
Vem-me então uma doce recordação.

Ganho asas, perco o chão
Matizo a tela de carvão
Tento um risco de salvação
Tudo em vão.

Volto, revolvo, revolto
Recolho-me na penumbra
Abraço um travesseiro de pena
De mim os olhos se fecham de Pena.

No limiar do sono, entorpecida
Meu corpo resplandece
Delineado por tua Energia
Colorida.

Envolve-me a pele, afaga meus cabelos
Beija-me a Alma, desliza teus dedos
Em meus desejos, deixa meus seios
Molhados de fluidos etéreos.

Na minha caixinha mais um
Sonho lúcido com laços de
Arco-iris!

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Tempestade



Sentada em meus pensamentos
Lá ao Longe, mais ao Sul
Acende um clarão, como fogo no céu.

Lá bem Longe, riscos percorrem o Horizonte
Prenuncio de Temporal.

Sei que as águas vão chegar
Impacientes,inquietas
Molhando nossos pensamentos.

Molhar o olhar suave na janela
Na terra, nos muros, na Vida.

Na madrugada ainda os raios
Vão te acordar, pressinto
Teu sono ficar inundado de
Tantas saudades de outras chuvas.

Quando a tempestade faz barulho
É sinal que estamos acordados
Nesse espaço Noite
Nesse Tempo
Saudade!

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Dor


Sei falar de Amor
Aquele que sangra
Desejos encarnados
Por entre os dedos.
Não sei Calar a Dor
Deixo que escorra
Ácida na pele
E que corroa
Amor!

Horas


Segundos
Minutos
Nosso Relógio
Está cronometrado
Na Hora exata
Em que despertas
Com vontade de
Penetrar

Em meus Sonhos!

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Nós


Deixe que em ti crie raizes
Meus beijos...

Deixo que em Nós
Os nós apertem
Loucos
Desejos!

Flor


...ainda
Colhes em mim
Flores dos desejos
Que plantou.

Vontades que
Florescem na tua
 Pele!

terça-feira, 30 de junho de 2009

Dança


Dance teu olhar
Em meu Desejo
Danço de desejo
Em te Olhar!

domingo, 28 de junho de 2009

Intruso


A Noite
Me toma
Embala
Acaricia
Meu Sono.

Você Voa
Venta
Adentra
Remexe
Meu Sonho!

Risco



Delineou,marcou,
Tatuou em nossa pele
Linhas de fina
Luxúria.
Um risco,

...que arrisco!

Ainda


Quando pensas em mim
Ficas Nu,pensamentos
De desejos carmim!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

inConstância


Mãos que procuram a pele
Peles que procuram bocas!

Tocam de leve a Lua

Dançam

Bailam

Encarnadas ou Recatadas.

Beijo molhado e quente
Ou de Leve, aparente.

Corpos que se procuram
Ou que fogem
Dissimulam.

Agonizam
prazeres
Contidos!

Carbonizam
Massacram
Sentires!

Fogueira


Fogueiras de Noites Frias
Noites de São João
Saudades dos Ventos Quentes
Nas Noites da minha infância
Ao lado das chamas
Avermelhadas,reluzentes
O Tempo crepitava.
Nem percebi que o tempo
Ali queimava.

Mas vivi Noites de fogueiras
Quentes!

Hoje, a Noite de São João
Ainda é fria
A criança que habita cá
Já não tem mais a fogueira.
E a Mulher que o tempo trouxe
Guarda o fogo da paixão!

terça-feira, 23 de junho de 2009

Poetas





Palavras nos Pensamentos
Dos Poetas
São letras
Molhadas de Mel
São sentimentos
Do corpo amado
Lembranças de beijos
Imaginados
Toques suaves na pele.

São palavras em voos de
Paz!

São letras
Ternas
Eternas
Dançam
Ritmadas
No desejo do
Poeta!


Letras que rimam


Amor e
Dor!

terça-feira, 16 de junho de 2009

Brincadeira


Roda
Gira
Volta!

Roda-gigante
Gira,gira
Volta criança.

Roda
Ciranda
Dança de roda
Roda menina.

Roda na vida
Rodopia nas horas
Rebola no amor
Rola no abismo.

De tanto Rodar
Na roda da vida
Na roda do tempo
Em roda de ti
Roleta russa

Pobre menina!
Seus sonhos matou.

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Ser


Descobrir nossos Desejos

Superar os nossos medos

Sem medo de ser

Feliz!

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Gostos!


Minha vida tem tantos sabores e COres
Gostos
Movimentos de tantos ventos
Imagens de outros mares
Vontades de outros pensamentos.

Meus dias têm minutos eternizados

Tantos desejos
Inconfessáveis!

Letras embaralhadas.

Minha vida tem um quê de quero mais

Vento vendaval!


Parágrafos de lembranças.

Têm sabores
De fruto roubado!


Frutos que como falo

Fala do gosto dos nossos Lábios

Repentino Amor!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Ganhar ou perder


Eu entendo Amor, o grito silencioso da tua dor
Ganhar ou perder, é o jogo da vida, Amor.
Andei pensando, eu sei da tua sensibilidade
Ganhar amor ou perder amor, às vezes é dor.

Eu percebo Amor, o frio que te envolve a alma
Andei divagando, mas a vida é ganhar ou perder.


Ganhar ou perder as vezes sonhar
As vezes querer.
Quando se perde
Quem ganha leva tudo.
Quem perde, ganha a liberdade.

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Estará em Nós!


Diga ao vento que te poupe das Lembranças
Diga a Lua que ela brilhe em outra rua
Diga ao Sol que ele aqueça outro Horizonte

Deixo que o Vento mova brisas de paixão
Deixo que a Lua banhe minha Noite Nua
Deixo que More sempre Cá
Deixo o Sol estar em Mim

No ar o meu perfume
Na pele as minhas marcas
Na boca minha saliva
Na Alma minha paixão!

Mar amar



Águas que desejam

Serpenteiam margens

Refletem cascatas de luar

Escorrem tépidas Saudades

Beijam ao longe o Mar!

terça-feira, 2 de junho de 2009

Nada sou




Não sou poeta
Sou tão somente
Apaixonada!

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Éter


Habito nesse espaço
No Calor do
Teu abraço
Sol!

... aquece
Minha Noite
Enluarada!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Meu céu.


Descobri em teu corpo
Todas as cores dos meus
Desejos.
Cores do Arco-iris.

domingo, 17 de maio de 2009

Estações


Tempo, por que insiste em passar velozmente?
Tempo: o meu tempo é lento...

Ainda é infância em minhas tardes...

Tempo, leve junto de ti somente aqueles que
burlam o tempo...

Em suas tardes jazem anciões em si, esperando o
tempo passar...

Tempo: eu ainda floresço em todas as Estações.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Despedida


Permita que eu volte agora
Não me prenda um pouco mais
Permita que eu chore agora
Não me diga que vai passar
Permita que eu fique triste
Não me diga que está também

Se me dizes que está triste
Se me dizes que vai passar
Porque me fazes chorar
Me prendendo um pouco mais?

Deixe que eu volte agora!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Vento Insone


Urge o Tempo
Ruge o Vento.

Doce alegria
Surge o dia.

A alma rodopia
Insone e fria.

A pele arrepia
Acaricia.

Inebria!

Droga que vicia
Tua
Ventania.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

...sonho



...sonhar com você
acordar e sentir você
um sonho!

Acorda em Mim
Um único sentimento
Você !

terça-feira, 14 de abril de 2009

Seguir!



É fácil quando lembramos o caminho
O caminho é Fácil
Quando
Lembramos do
Amor!