quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Ficção


Entre um anoitecer e um amanhecer, amanheço meus sentimentos abraçados aos teus, anoiteço os desejos nos sonhos teus. Acordamos a história escrita nos dias de outrora e colores as lacunas dos dias meus. Lembra-me de uma quase realidade, um caso reinventado, um trato, um silencio musicado no baile da saudade.

Ensaiamos uma dança no tempo, vestida com os traços criados de véu carmim, teus beijos sabor de frutas roubadas. Vontade antiga, desejo de ficar em meio ao sonho entre um anoitecer e um amanhecer.

Teus lábios afagam meus receios, nesses dias roubados do Tempo, um oásis de desejo um (a)mar de sonhos. Confidenciamos nossos medos, encaixamos nossas queixas, e deixamos que nossos corpos aos poucos desapareçam na imensidão do Horizonte e nossos Desejos se encontrem na Ficção.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Somos


Esse grito que carrego na alma, cravado como lança no peito, ecoa na minha rua entoa uma canção que se perde no jardim, um sopro dos teus lábios em meu ombro, alertam um alento uma Reação ou uma canção.

Meu movimento era teu sorriso um aceno a próxima Cena, outro Ato, outro Eu, outro Você, outra Máscara, estamos a um passo de Nós e somos Nada, um Conto nas madrugadas frias.

E o sabor que trago, banha meu corpo de segredos e sonhos.
Um semblante, um sopro, uma carta, um segundo
Um beijo com gosto de Pecado!

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Sobre Autor e Narração


O autor implícito – imagem do autor real criado pela escrita é ele que comanda os movimentos do Narrador, das personagens, dos acontecimentos narrados, do tempo cronológico e psicológico, do espaço e da linguagem em que se narram indiretamente os fatos ou em que se expressam diretamente as personagens envolvidas na Historia.

Assim como a poesia é feita de silêncios e sons, a narrativa ficcional é feita de “visão e cegueira”. – O que o narrador vê e deixa ver está subordinado a “uma visão mais extensa e dominadora”

O autor implícito – pode levar-nos à visão de mundo que transpira da obra, aos valores que ela veicula, à sua ideologia.

Narração e ficção nascem juntas, quem narra, narra o que viu o que viveu o que testemunhou, mas também o que imaginou ou o que sonhou.

A Lírica que daí brota é o conteúdo subjetivo “a alma agitada pelos sentimentos” . Aproxima-nos intimamente dos fatos, uma proximidade que nos dá a ilusão e conforto.

Que é o que chamamos de Verossimilhança. Verossímil, não necessariamente verdadeiro, mas parece sê-lo, graças à coerência da representação e apresentação fictícia. (Hegel- Objetividade ficcional).

[um pouco sobre literatura nesse vasto mundo de ficção e realidade que tanto amamos – in. O Foco Narrativo - Ligia Chiappini Morais Leite]

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Cá na palma da mão


[“além desse mundo sonhado, imaginado, a sombra da lua percorre as ruas, se cala afogada no lago, último suspiro, quimeras desenhadas na tela dos dias num tempo deixado ao lado, esse tempo que habita a eternidade de um instante, nas dores da alma// nessa noite meu voo entre morfemas e metáforas perdeu-se como papel amassado de rascunho, como folha arrancada de um conto não terminado// apenas o pensamento sobrevive nessa alma que voa, o coração frêmito inquieto se entrega agora ao silêncio, no vácuo, banhado pela fragrância da primavera, descansa recolhido, refratário as palavras atiradas ao vento// a música em notas suaves envoltas na essência do incenso, aconchegam a alma que retorna do voo dos sonhos// o silêncio acolhe os sentimentos segurando em seus dedos de tranqüilidade esse novo coração”]

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Olhares


Dentro dos meus olhos
Brilha um horizonte
E quando fito teus olhos
Meu Mundo
Enche-se de Luz.

Procuro não esquecer
Teus Olhos
Toda sorte de emoção
Reside
Na sensação que me despe.

Quando teus olhos cruzam com os meus
Ouvimos frases cifradas
Sem palavras
Todas nossas verdades.

Carregamos em nossa retina
Um olhar no mesmo Horizonte
Um mesmo desejo que guardamos.


Toda Magia contida no Amor
Trazemos segredados
Em Nosso Olhar.

Assim Te Amo
Apenas em
Te Olhar.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Mundo




... uma noite de verão
Um sorriso e
Um beijo no coração...

Uma canção
 minha razão
De todos os homens...

um chamado

-vida MInha-


...jardim cercado de amor
doce amor,  infinito amor!

O desejo da minha alma
primeiro e último Amor!

Meu Presente
Noite de Lua
Sonho de Verão
 brilho do sol!

Fragrância primaveril
dos beijos teus  Homem
Meu!

Estação de frutas doces
cítricas, macias, rosadas,
sabor a mel...

amor, amor...

..horizonte azul
 sonhos liláses
desejos azuis

...que Mais?

Amor Meu!




sábado, 19 de setembro de 2009

Nosso Tempo de Vento


ESSE instante vento forte com MEUS Balança Sentimentos melodia Minha e Tua embalado fragilidade, sou de Feita Inquietação, Minha nao sei Emoção Conter, como sou o vento forte que, como Vezes Passa e e-fold como brisa suave.

Vento forte sou TEU desalinho sossego que você Deixo desassossego em, você bebe, com MIM ASSIM, carrego-te los Minha inquietude, Nao sou lagoa sou Localidade: Não estática, Nao sou sossego. Sou vento e te NAS concordou amanhece acariciando desejos MEUS teus.

Ouço, seios Pela embalado tua brisa melodia vento, cam-me los TEUs Olhos MEUS Passos fitando visualizar Onde E Meu universo que apenas e Você ou é Minha Pele calor tudo o que fogo VEM TEU corporativa.

Eu presenteia sopro suave com Lembranças nunca viveu, sentiu los Nossa distância AO SOM filhos criados de cítaras e Celestiais. Suave brisa ASSIM SOU-como múltiplos e espasmos causados ​​fantasias.

Nossas almas encontram-se melodia Nesse nessa Sonho SEM pontuações Nesse instantaneamente dormente permanecem abraçadas Tudo E Nesse segundo ou vestimentas, um Tempo de Vento forte e suave, que ASSIM completa, ASSIM nós amamos!

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

...era tarde


A tarde de ouro enfeitada deixou-se beijar pela luxuria da luz do Sol
Germinou com flores de paixão os sentimentos ali plantados
A tarde se enamorou, ficou ali acariciada com os raios que penetravam
naqueles minutos que suavemente
escorriam nas horas.

Era tarde já era tarde, ela pensou...recolheu-se naquele fim,
outro elemento ali ficou.

A Tarde adormeceu nas lembranças do Sol Poente
Amarelas flores no fim da primavera
 ficaram ali espalhadas...


O Sol mantém a Tarde na saudade que acariciou
Segue na Noite a lembrança que serenou
Escuridão e sombras na madrugada
Debruçando ainda nas manhãs
um resto de Noite, lembranças,
Sombras
quentes das tardes de verão...

A Lua guardou-se chorosa e triste com seu brilho
para sempre longe do Sol e das Tardes,
já era tarde
Eram sonhos as tardes?

Eram tardes
Era Tarde
Tardia conclusão!

Os pensamentos eram estações floridas
quentes raios de sol penetrando
Recordações!


quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Conta



Amor, eu perdi a conta dos minutos que contava, já não dou mais conta dos segundos que faltavam, no momento da chegada. Desconheço se houve razão, apenas perdi a conta e hoje já não faço conta se houve razão ou não, do momento que na minha conta se perdeu entre um dia e outro um ontem e um agora.

Amor, o Amor não tem razão nem explicação, essa matemática da razão deixo aos filósofos, psicólogos, contadores... Eu paguei a conta, apaguei a conta e já não faço conta. Na minha conta, a razão do Amor é simples, dois sentimentos, resulta Um. Um mesmo sentimento de amor.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Sabores e Pensamentos


Você é meu Tempero
De Sabor exótico
Como Pimenta nos
Lábios.

Gota de Limão na
Ponta da Língua

Beijo sabor de Lima

Sorvete de Creme
No Ventre.

Óleo de menta
Na Pele.

Bolero na Penumbra
Da Primavera.

Café com gotas de chantili
Chá com sabor  Você.

Esperança de estrela cadente
Sol, Luz, Horizonte, Amanhã!

Uma manhã, um desejo
Uma Tela que hoje rabisco
Ao som das gotas da Chuva.

sábado, 12 de setembro de 2009

Algo Assim...


Fecho os olhos
Pensando em Você
Abro os olhos
Amando Você
Meus Sentimentos
Abrem e Fecham
Fazendo Amor
Com Você!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Universo em Nós.


Neste Mundo de palavras encontro um universo de saudades, pintadas de tom azul pelas mãos suaves de um artesão de sentimentos, que molda com seus dedos um Mundo de desejos tão nossos, eterniza um encontro de parágrafos que fazem amor nos interstícios de nossas vontades.

Este mágico Mundo criado, pictórico toma forma sob noites de Luar, tardes e manhãs ensolaradas. Castelos de Sonhos criados, flores que brotam fragrâncias em meu corpo, olhares na distância do instante, saudades amalgamada nos dias de solidão, onde nossos corpos unem-se abraçados em nossa voz.

Neste Mundo tua essência está gravada no passado, presente e futuro, um encontro marcado no Tempo no sabor de tua boca, aconchegado no calor do teu peito. Neste Mundo de prazeres contidos entregamo-nos aos devaneios de um momento eternizado nos segundos dos nossos pensamentos, sem ilusão.

Apenas um Sonho adormecido em Nós.

Aqui Neste momento, deixo as palavras calarem um silêncio de presença constante, um sussurro uma vontade,  atração em movimentos lentos, um Sonho, um Encontro um Beijo de coloridos sentimentos, fractais que emergem do coração e da emoção de sempre te  Amar.

(sei lá!)

[verso e reverso]

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Ao sabor do Vento.


Meus momentos são feitos de Ventos, ventos que arrepiam a pele e desalinham os cabelos. Ventos fortes que chegam ao fim do dia, trazem pensamentos de todos os dias, mensagens enviesadas no rascunho do tempo. Eu gosto de Ventos uivando no Tempo.

Encontrei-te nesse tempo de Vento, onde sempre voo além de mim. Aqui nesse tempo inventado, nesse mundo de palavras ao vento, todas elas sopram suaves em meus cabelos desalinhados, deixando o perfume da tuas mãos, fragrância de amor, essência de desejos. Eu gosto de Ventos beijando meu Tempo.

Entrego-me nas asas do Vento sigo sua inconstância, seus prazeres em redemoinhos, brincando a minha volta com movimentos cadenciados, envolvendo minha cintura, bailando em meus sentidos plenos de gozos descendo em espiral de êxtase da nuca aos pés.

Vento faz amor em meus devaneios.

Arrepia cada curva do meu corpo, traz-me teus sonhos, traz-me teu sabor, traz-me teus desejos de fazer amor, escreve em meu ventre o teu Nome.

Deixo-me levar pelos movimentos do Vento, pela atração, pela paixão da tua imaginação.
Vento Amo Você Assim toda Noite acariciando meu sono de sonhos!

domingo, 6 de setembro de 2009

outros instantes




A penumbra aconchegante que me envolve tem olhos de solidão/ lembranças que nos levam e nos trazem/ momentos de saudades com nuances de espera/ acendendo uma luz de ilusão calada na penumbra/ Saudades são traços de um tempo de sonhos com imagens de tantos momentos / e o gosto aprisionado na boca/ um breve e tão pequeno instante de devaneio no silêncio da penumbra/ alimentando centelhas de desejos/ Fico aqui e quero entender porque se ama em silêncio/

sábado, 5 de setembro de 2009

Sentimentos "Voantes"


Deixo que em meu jardim
Borboletas voem sobre meus sonhos
Deixo que me levem ao longe
Em seu jardim
E
habitem em desejos
Dentro de mim.



[Das páginas do Livro dos Dias - Sempre um LIndo Jardim
onde Borboletas sempre voam, e voam em inspiração.
Uma Linda canção do Poeta "Madrugante" - Everson Russo]

Chegada e Partida



O amor vem não sei de onde/um dia vem/e um dia vai/e leva o melhor que há em nós/
Leva Lembranças/e vem a saudade!

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Queria saber te Amar.


Fecho meus olhos em lembranças e notas de uma música inventada materializam-se a minha volta, cada nota em meus sentidos me recordam apenas uma dança, a dança de nossos desejos entoados de sussurros arrepiando nossa pele, e teus lábios ávidos buscando os meus.

Abro os olhos nesse leito sem sentido e vejo o brilho da Lua.

Se fechar amor os meus olhos, não poderei ver o encanto da lua e tudo o que queria era saber se olha o encanto da lua ou se vê no horizonte uma forma de amar. Só queria que soubesse que nesse leito sem sentido eu olho a lua que brilha logo ali.

Queria amor saber te amar e saber quais palavras te dizer, se enfeito todas com o brilho da lua e nem assim eu sei se faz sentido a lua que enfeita a noite e se ela te faz sonhar, Não faz sentido meu desejo de que olhe a lua.

Queria que por um momento quisesse olhar adiante, e que meus sentimentos tocassem os teus. Queria que soubesse que nesse Leito sem sentido eu olho a lua que ilumina um ponto onde estou, e gostaria que aqui também estivesse, porque não faz sentido estar em um ponto onde você não está.

Queria amor que soubesse
Que eu só queria saber como está
Que invento uma melodia
De olhos fechados nesse leito sem sentido
Somente pra saber como devo eu te Amar.

(?)