sábado, 15 de dezembro de 2012

Suavidades




Quando as pálpebras deslizam no suave descanso da Noite
Envolve-me um Sol morno de lembranças
Por sobre um campo de flores amarelas

Um longo suspiro
Acompanha
Um medo breve

Não queria ter esquecido tantos detalhes
Dos entalhes que enfeitavam cada manhã
Sentimentos dourados na moldura do Tempo

Tentei deixar na aquarela da tela
Qualquer colorido tímido que fosse
Ainda que tão tênue indicasse
Um resto de flores amarelas
Um sol morno de lembranças

Sem que despertasse nada
Além do sonho suave da Noite.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

...desses pequenos espaços de Vida



A varanda sempre aproximava nossos sonhos
Compartilhamos ali o não compromisso
A liberdade dos Sentimentos

Ficamos observando nesse mundo
O movimento das Noites madrugadas
O excitante encanto de Viver
Teu jeito simples de me envolver

Tocávamos a imensidão do universo
Veredas de beijos coloridos
Espaço de tantas verdades alguns
Medos confessados

Percebíamos as nuvens dissipar
Nossas dores
Os ventos amanhecer o calor do verão

Varanda
Verão
Verde
Verdade
Você

Logo será outra Varanda

Outro dia, outro sonho
E para sempre o Amor!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Significar




Parei aqui nessas ruínas
Como se fossem minhas
Refaço as Paredes
Refaço Trajetos
Igreja abençoada
Onde me recolho
Dia a dia!

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

somos aprendizes


Trazemos dentro de nós tantas crenças e compromissos, às vezes tantos que mal podemos mensurar, nomear, sustentar. Cremos na bondade, sem conjecturar que há dois lados, a dualidade o bem e o mal, a chuva e sol, noite e dia.

Nesses dias venho aprendendo que as palavras podem ser antídoto ou veneno, podem curar ou matar. O quanto delas nos fizeram bem e quantas delas nos aprisionaram.

Nessa hora compreendo como devemos ser Impecáveis com nossas palavras, não pecar, sendo fiel a verdade e ao amor.

Venho entendendo que não preciso levar nada para o lado pessoal, se não acreditar e não aceitar faz parte apenas de quem oferece. Tudo o que alguém deliberadamente faz é apenas parte dele e de seu sonho. Se aceito e tento reagir crio um conflito dentro de mim.

Hoje não quero tirar conclusões, não quero entender errado, quero perguntar antes de concluir, quero ouvir e ver aquilo que é real.

Não importa de que forma a vida se apresente
Sempre posso dar o melhor de mim.

(Filosofia Tolteca - os 4 compromissos: Seja impecável com sua palavra, não leve para o lado pessoal, não tire conclusões, dê o melhor de si.)

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Evento





Era a mesma estrada na madrugada e os pensamentos eram outros pensamentos, entrecortados por relâmpagos pairando o céu cor de Tempestade.

Os pensamentos iam à mesma velocidade dos raios.

Outro Tempo.

Outro clarão repentino trazia-me um breve presente de Solidão, a estrada não era veloz, os desejos eram calmaria, já não eram rompantes, nem primários, tampouco geravam fulgores proibidos.

A tempestade anunciada contrastava com meus sentimentos de garoa na serra, chuva de dezembro deslizando nas pedras brancas, olhar no verde dos dias, dentro do teu olhar azul.

Agora o Tempo, as Lembranças, os Raios, a Tempestade nada importava.

Na agenda risquei a data, um horário, um longo beijo no meio da madrugada!

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Espera


Fiquei um longo tempo deslizando os dedos na textura branca da folha, como se fizera carinho em tua pele, sentindo teu perfume, tua presença, a fragrância da tua Alma.

Formando flores no papel alguns sentimentos rabiscados foram desenhando tua falta. Cuidei colorir cada curva, como se fora meus lábios em tua pele. Escrevi ali tua presença, teu perfume. Matizei o meu Amor.

Fechei meu olhar, refiz aquele longo caminho ladeado de verde e silenciosas nuvens Azuis, rabisquei em minutos teu voo, marquei no canto direito da folha uma data, um horário, uma dança, um jantar, Um sinal da tua volta, uma Noite de Amor.

sábado, 8 de setembro de 2012

Quando o amor acontece




Em cada detalhe
Havia uma marca
Um Sinal.

Passeava meu olhar
Naqueles singelos traços
Teu Perfil ali
desenhado
Traços azul anil.

Fiquei namorando
A cor da flor
Teu sorriso transbordando
Algo translúcido
Atravessando o vaso.

Esperei o próximo segundo
Aquele quando Você
Transpõem as barreiras e
Me toca com os olhos transbordando
Amor!

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Há um gosto de Alegria em Agosto



É silenciosa nossa trajetória
Sob esse céu de Agosto
Caminhamos lado a lado
Percorremos os mesmos caminhos.

No mesmo Café degustamos o Inverno
Repousando nossas mãos
No aconchego Silencioso dos Segundos
Servíamos da Alegria que nos cabia.

Quando percebemos Agosto partiu
E nós, apenas Chegamos!

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Retornar


Tenho dessas emoções de espera. Olhar no meio da manhã, esperando teu sorriso ou qualquer sinal da tua Volta.

Tenho essa atenção flutuante, percebo teus movimentos, sinto já os teus desejos prenuncio da tua volta.

Tenho ainda intuição, senti toda semana teus pensamentos percorrendo cada traço dessa volta.

Tenho esse jeito de contar poeticamente os minutos, esperando Você chegar!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Realismo




A escuridão se despedia no sopro do Vento
No vão da Janela os primeiros raios brilhavam

Fiquei dançando meu olhar na penumbra
Aguçando meus sentidos na Manhã
Ouvindo o despertar dos Ninhos
A leveza das folhas no balé ritmado d’outro Dia

Teu olhar Azul convidava-me tão certo
Passeando por entre os Vales das horas
De certo nos afastamos um pouco

Respirando a relva molhada
Deixando que o dia pulsasse selvagem
Importava que a espera fosse Poesia

E no fim do dia a procura Terna
Se fizesse Eterna.

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

ExistênciA


Das coisas que não posso mudar, Aceito.
E tudo aquilo que Aceito
Muda algo dentro de Mim!

Daquilo que não posso ter, Entendo.
E tudo aquilo que Entendo
Existe dentro de Mim!

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Impermanência


Encontrávamos tudo em seu lugar sempre, até mesmo os nossos sentimentos estavam em ordem.

Os sorrisos eram tão parecidos e cada qual no seu lugar.

Acostumamos-nos com os mesmos assuntos e o mesmo menear de cabeça.

As Paredes frias e coloridas alinhavam um ponto de equilíbrio dos nossos medos, encostados ali observávamos os movimentos ao redor.

Às vezes deixávamos nossos pensamentos retornar, fugíamos para nosso cotidiano selvagem, animal, lúdico, cromático, tão diferente e tão igual.

Haveria um dia, porém que observaríamos a impermanência dos dias e o movimento das horas, a transitoriedade do nosso olhar, a falta física da voz.

Naquele dia parecia que tudo estava tão igual, não fosse tua ausência um Prenúncio da distância que nos aproxima.

sábado, 4 de agosto de 2012

Melodia


Dessas pequenas impressões que nos acompanham o Dia, quando os pássaros nos despertam tão cedo, os pensamentos dançam nessa melodia.

Já é tão Noite e ainda estamos ouvindo o amanhecer o dia Todo.

E os pássaros agora cantam

Dentro de nós!

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Essencial


O cheiro da terra úmida
Vermelha e fértil
Pulsando em nossas mãos

Na fonte cristalina
Àgua e Vida
Refletindo a vida Nossa

No canto e voo das aves
Alegre e livre
A nossa voz se encontra

E a cada nova pedra
Quente, lisa, fria, áspera
Sentimos a Vida Pulsar

Já não temos medo das feras
Não tememos nossos medos
Criamos um recanto de Paz

Dentro desse Todo
Basta uma casa na
Árvore
E o canto das Aves
Noturnas!

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Mudanças


Acendi na escuridão uma luz para me guiar, uma chama, um lampejo, um sinal, um fogo crepitando na pele um tempo que passou. O silêncio aos poucos aquietou antigas ilusões. Deixei meus devaneios misturar-se à fumaça e ganhar o espaço que me cerca de aromas saudades.

Entre uma margem e outra um dia e outro, ir e vir, estar não estar, sou a mesma e tudo mudou.

Observo a vida desse prisma e nuances se formam nessa tela imaginada, reconheço meus anseios, diluo meus medos, delimito meu espaço, recolho meus desejos, discordo da razão,aceito minhas dores, sou tola, sou frágil, sou eu, sou a mudança para SEr melhor.

terça-feira, 17 de julho de 2012

Teu olhar


Às vezes e somente às vezes
Entre Nós a voz escondida
Manifesta-se e repercute

Ecoa na distância infinita
Reverbera nas Estrelas
Retorna com outro timbre

Somente às vezes deixamos
A maciez aveludada desse Som
Tocar-nos os sentidos

É quando nossos caminhos se
Cruzam sobre as ruínas
Recolhemos antigos Sinais

Às vezes esculpimos ainda
Paredes remotas de um Mosteiro
Lá nossos sonhos se encontram

Energia que a alma cura
Água que revigora o corpo
Melodia que a Vida embala.

Descobrimos que nosso Olhar
Às vezes é tudo que
Nos Salva!

segunda-feira, 16 de julho de 2012

A Felicidade mora em Nós!


No dia em que a flor de lótus desabrochou
A minha mente vagava, e eu não a percebi.
Minha cesta estava vazia e a flor ficou esquecida.
Somente agora e novamente, uma tristeza caiu sobre mim.
Acordei do meu sonho sentindo o doce rastro
De um perfume no vento sul.
Essa vaga doçura fez o meu coração doer de saudade.
Pareceu-me ser o sopro ardente no verão,
procurando completar-se.
Eu não sabia então que a flor estava tão perto de mim
Que ela era minha, e que essa perfeita doçura
Tinha desabrochado no fundo do meu coração.

Rabindranath Tagore

sábado, 14 de julho de 2012

Qualquer dia assim



Vem o dia abraçar saudades
Qualquer manhã, enfim.
Não sei o que restou em mim.

O que deixou aqui?

Vem a Noite sem sonhar
Horas sem fim
Acordadas em mim.

Tempo revivido na distância
Das Palavras prometidas nas
Noites carmim.


Sem dormir a Noite vai
Eu peço que fique
O silêncio dos teus Lábios
A sorrir ainda um Beijo
Em mim!

terça-feira, 10 de julho de 2012

Outros Dias


Silenciosamente aquela Voz
Ficou aprisionada
Prisioneira voz que fez
Calar a liberdade.

Sentidos
Sentimentos
Silenciados.

Os dias e as noites eram
Reféns daquele sentimento
E a moeda de troca era o
Silêncio!

A Noite já cansada de tanta solidão
Suplicou ao pensamento uma trégua
O Dia desavisado seguiu traído seu
Destino de todo dia.

Dentro daquela prisão
Alimentavam-se Dia e Noite de
Ilusão!

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Fuga das Horas




A fuga sem resguardo nem segredo,
Sem nenhuma vontade de interpretar a dor,
Descubro a distância,
Sou sinal visual,
Parece-me que tudo mudou,
Houve uma tarde depois do dia,
Algo em nós repercute em sua direção

(fuga)

luz e cor
amor
paz!



(Paredes 11 de novembro de 2010 14:29 )

sábado, 30 de junho de 2012

Sentido




O silêncio é a companhia que Noite após noite me abraça em nuvens de lembranças. Nessas noites a alma se veste de sonhos, te desenho no brilho dos desejos dentro dos meus pensamentos. Amo-te assim na imensidão da noite fria.

Estás aqui em cada instante dos teus silêncios, abraças-me o corpo com braços de saudades. Movimentos guardados no teu corpo em carícias imaginadas passeiam na face contemplada. Trêmulos lábios marcam a pele, suave e real segundos de amor.

Nesse remanso de sossego nossa voz se faz de pensamentos, e nossos olhares navegam nas profundezas do nosso sentir, sorvemos o gosto doce da boca nesse beijo morno na Sombra da Noite. Amamos-nos livres das amarras do Tempo.

Abraçados nessa brisa envoltos nesse calor intenso, somos chamas de carinho no embalo da madrugada. Permanecemos nesse ritmo cadenciado ouvindo o som do universo, unidos nessa imensidão, transcendemos os instantes de saudades, somos imagens translúcidas brincando livres nesse espaço de Paixão!

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Se



E
Se fosse
Terno
Delicado
E
Se cantasse
Sinfonia de
Amor
Meu poema
Seria Teu.

Frágil
Incompleto.

Lamina fria
Nas horas ébrias
Corta meu pranto
de Sonoros ais

É apenas
Meu!


sábado, 23 de junho de 2012






Podemos romper as barreiras
Apenas com Amor!

sexta-feira, 22 de junho de 2012

~~~//Imagens Rabiscadas//~~~~



Penetram meu Ser
Expressões Humanas tatuadas nas Paredes
Nosso Olhar desenha na solidão o desejo de aMar

Você

[Existem nas paredes
expressões humanas
tatuadas no olhar]

Penso

...Construções de paredes separando emoções
Medos dos sentimentos
Emparedados,
Concretados,
Amalgamados...

...Sempre uma barreira.

Divago

(Amar é romper barreiras, derrubar muros, permitir a proximidade...)

Você

[Le supplice est sûr.]

Suspiro!

...Je sais

Respiro!

Você

[E nas paredes
existem grafadas
expressões "humanas"]

Expiro!

...Eu sei..

Permito-me

...falo com as Paredes meus devaneios.

Experimento

...ligar os pontos, unir fragmentos, exercitar.

Você

[É preciso sofrer depois de ter sofrido, e amar, e mais amar, depois de ter amado. *]

Lembro-me

... Amor e Dor
Rimam nossos sentimentos
E
Sinuosos seguem os dias
Em cada curva um outro momento

Quase parar
Quase aMar.

Sonhava

(...mergulhava naquele céu infinito azul. Abstraia um mundo de palavras imaginadas, entre formas concretas, metáforas ondulavam e vibravam ...)
Os sinos dos Ventos acordaram-me os acordes dessa Nota, som de (a)Mar.

Você

["Um exercício
de inspirar e expirar
respirar e suspirar
dedilho
um sinal
ondulações e vibrações
AR]”

Vibro Leve AR /Mar/AmAr/amAR

Você

[Dê a quem você ama: asas para voar, raízes para voltar e motivos para ficar...]**

Regresso

Voo nesse céu infinito azul
E meus sonhos criam raízes
Permanecem nesse exercício
Nesse azul, sonhar, AmAR!

Você

[“Amar é romper barreiras
derrubar muros
permitir a proximidade"
curvar-se”]

Construo imagens na Mente

...curvar-se, dobrar-se, encaixar-se...
Movimentar-se nessa dança ondulante das palavras...

Você

[“Amar é não temer fronteiras.”] ***


Rabiscamos
Nas Paredes
Sentimentos
De Amor!



*Guimarães Rosa
** Dalai Lama
*** D.a.



Lumière





Traços
Presságio
Rastros de Luz
Solubilidades nos rabiscos
Sinuosos de amares

(Paredes 10-08-2010)