quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Espera


Fiquei um longo tempo deslizando os dedos na textura branca da folha, como se fizera carinho em tua pele, sentindo teu perfume, tua presença, a fragrância da tua Alma.

Formando flores no papel alguns sentimentos rabiscados foram desenhando tua falta. Cuidei colorir cada curva, como se fora meus lábios em tua pele. Escrevi ali tua presença, teu perfume. Matizei o meu Amor.

Fechei meu olhar, refiz aquele longo caminho ladeado de verde e silenciosas nuvens Azuis, rabisquei em minutos teu voo, marquei no canto direito da folha uma data, um horário, uma dança, um jantar, Um sinal da tua volta, uma Noite de Amor.

11 comentários:

Anônimo disse...

Na ausência um rabisco da tua presença!
*.*

Lu Cidreira disse...

Um olhar para quem espera umas caricias de alguém amado como se fosse um chamado. A noite esperada deverá ser de grandes deleite para os amantes.
Obrigado pela sua presença.
Abraço

Everson Russo disse...

Deslizando dedos,,,a arte de amar,,,criar,,,se fazer poesia com a alma,,,com o toque suave do carinho,,,do amor,,,,beijos menina do horizonte lilás...mando pra ti beijos frios de primavera...por aqui,,,meu horizonte tá doido,,,esfriou depois do inverno...rs....beijos...

Ingrid disse...

sempre muito bom estar por aqui..
saudades..
beijoss

Anônimo disse...

Tua
presença
é
Vida
* *

Thomas Albuquerque disse...

Uma doce e perfumada poesia, com gostinho suave de afeto ecarinho

Anônimo disse...

Um longo tempo de ausências
e espera
de um sinal
1
* * !

Everson Russo disse...

Um lindo final de semana pra ti minha querida amiga,,,com todas as cores que voce sonhar....beijos e flores entre poemas e cançoes....

Vanuza Pantaleão disse...

Oi, Mara!
Um prazer, uma delícia estar aqui e sorver da tua poesia. Obrigada pela visita e um fim de semana legal!Bjs

Luna disse...

tanto se pode desenhar numa folha branca de papel
beijos

O Sibarita disse...

Ei, olhe agora para o céu agora! Vê aquela lua despojada? É o sinal... kkkkkkk E então? Aimôpai! kkkk

Dona menina que porreta seu belo poema!

O Sibarita

Postar um comentário