sábado, 14 de julho de 2012

Qualquer dia assim



Vem o dia abraçar saudades
Qualquer manhã, enfim.
Não sei o que restou em mim.

O que deixou aqui?

Vem a Noite sem sonhar
Horas sem fim
Acordadas em mim.

Tempo revivido na distância
Das Palavras prometidas nas
Noites carmim.


Sem dormir a Noite vai
Eu peço que fique
O silêncio dos teus Lábios
A sorrir ainda um Beijo
Em mim!

Um comentário:

Sél disse...

Obrigado pela visita e comentário Mara
Vim retribuir e já adorei o nome e as cores do seu blog rsrsrs..além de ter lidos muitas poesias suas, muito boas.
Parabéns.
Beijos

Postar um comentário